Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Histórico

Início da década de 30. Naquele tempo, andar pelas estradas do Rio Grande do Sul exigia muita coragem. Fazer uma viagem até algum município do Interior poderia levar dias. Com a preocupação de oferecer melhores condições de tráfego, engenheiros ligados à Sociedade de Engenharia de Porto Alegre defendiam a criação de um departamento autônomo estadual para construir e conservar rodovias.

Com esse propósito, surge, pela Lei nº 750, de 11 de agosto de 1937, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER) como autarquia estadual responsável pela gestão do transporte rodoviário do Estado do Rio Grande do Sul, vinculada à Secretaria de Estado dos Negócios das Obras Públicas. Estava criado o segundo órgão rodoviário do país.

Foto antiga em preto e branco, de 1941, mostrando a pavimentação asfáltica da rodovia Rio Grande-Cassino
Rio Grande Cassino 1941 pavimentação asfáltica - Foto: arquivo Daer

Na década de 40, o Daer construiu a primeira rodovia pavimentada, ligando Rio Grande a Cassino – atualmente denominada ERS-734 – com os primeiros equipamentos adquiridos pela autarquia.

Foto da Ponte dos Arcos, sobre o rio das Antas, na divisa entre Bento Gonçalves e Veranópolis.
Ponte dos Arcos Bento Gonçalves e Veranópolis - Foto: arquivo Daer

Em 1942, o Departamento iniciou a construção da Ponte Ernesto Dornelles, no Rio das Antas, entre Bento Gonçalves e Veranópolis. Também chamada de Ponte dos Arcos, a estrutura foi inaugurada em agosto de 1952 e se tornou a primeira ponte com arcos paralelos do mundo. Por sua importância, a obra virou símbolo no brasão do Daer.

Foto em preto e branco, de 1947, mostrado a ponte General Osório, sobre o rio Ibicuí, em Manoel Vianna.
ponte Gen Osório rio Ibicuí Manoel Vianna 1947 - Foto: arquivo Daer

A busca por técnicas inovadoras de engenharia civil sempre foi prioridade na autarquia. Nesta década, o Daer foi pioneiro no emprego de tecnologias e materiais que resultaram na construção da ponte do Rio Ibicuí.

Travessia Porto Alegre - Guaíba. Foto em preto e branco, de 1947, mostrando o desembarque de passageiros a pé, carros e ônibus das barcas, no atracadouro do bairro Assunção, em Porto Alegre.
Atracadouro das barcas bairro Assunção 1947 - Foto: arquivo Daer

Nesse período, a travessia entre Porto Alegre e Guaíba era administrada pelo Daer e realizada através de barcas que transportavam veículos e pessoas. O antigo atracadouro era localizado no Bairro Assunção.

A ­fiscalização dos ônibus intermunicipais também já era de responsabilidade do departamento na década de 40.

Polícia Rodoviária Daer
Polícia Rodoviária Daer

No dia 16 de novembro de 1953 foi criada a Polícia Rodoviária do Daer, composta por funcionários do Departamento que faziam o policiamento rodoviário das estradas estaduais do Rio Grande do Sul. Em 1967, a tarefa passou para a Brigada Militar. Nessa época, os funcionários puderam optar em permanecer no Daer ou se incorporar ao Batalhão Rodoviário da Brigada Militar.

Imagem mostra Ponte do Guaíba, no entardecer, com destaque para o vão móvel.
Ponte do Guaíba

Ainda nesta década, em dezembro de 1958, foi entregue ao tráfego a “Travessia Engenheiro Régis Bittencourt” – a chamada Ponte do Guaíba, construída pelo Daer para substituir as barcas que faziam a travessia Porto Alegre-Guaíba. As obras do então maior empreendimento da América do Sul iniciaram em 1955, envolvendo o trabalho de 3,5 mil funcionários.

Outro fato marcante do período foi o início das obras da Estrada da Produção (RS-13), fundamental para o escoamento da produção gaúcha. Hoje federalizada, a BRS-386 liga Iraí, na divisa com Santa Catarina, a Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Foto em preto e branco, da Rodoviária de Porto Alegre
Rodoviária de Porto Alegre - Foto: arquivo Daer

Em 1970, com a evolução da malha rodoviária e aumento no número de linhas intermunicipais, surgiu a necessidade de adequar a rodoviária de Porto Alegre. As instalações da Estação Rodoviária de Porto Alegre foram projetadas e construídas pelo Daer. O prédio foi inaugurado em 28 de junho de 1970 e foi considerado, na época, o maior e mais moderno terminal rodoviário da América do Sul, tanto em estilo arquitetônico quanto no aspecto funcional.

Foto aérea mostrando o Autódromo de Tarumã, em Viamão.
Tarumã - Foto: arquivo Daer

Também em 1970, em novembro foi inaugurado o Autódromo de Tarumã, em Viamão – obra projetada e executada pelo Daer.

No ano de 1972, a autarquia passou a ter sua sede própria, marcando uma nova fase na sua história. O prédio de 20 andares recebeu o nome do seu primeiro Diretor-Geral, José Batista Pereira e foi construído na Av. Borges de Medeiros, 1555, em área do Rio Guaíba, que precisou ser aterrada.

Foto noturna de servidores do Daer, realizando uma fiscalização em vans de fretamento e turismo
Fiscalização fretamento e turismo - Foto: arquivo Daer

A partir da década de 80, o Daer passou a gerenciar a conservação das estradas, especialmente no que se refere à modernização da sinalização de segurança. Nesta época, também ocorreu o incremento nos serviços relacionados à ­fiscalização do transporte intermunicipal de passageiros.

Neste período, o Daer realizou a primeira duplicação de rodovia estadual. Os trabalhos no trecho de 10 km da ERS-040, entre Porto Alegre e Viamão, foram fi­nalizados em 1984 e contribuíram para a melhoria da mobilidade na região metropolitana. O projeto foi elaborado pela autarquia em 1980 e priorizou a preservação das ­figueiras ao longo do trajeto.

Em 1987 o Daer completou 50 anos de serviços prestados a toda a sociedade gaúcha. Nos anos seguintes, as rodovias de importantes regiões turísticas foram contempladas com melhorias, como os Caminhos de Pedra, ao longo da VRS-805 e a Estrada do Vinho (ERS-444), buscando o desenvolvimento econômico das cidades em seu entorno e a segurança viária.

Foto área da da ERS-389, conhecida como Estrada do Mar, mostrando a rodovia e um grande área verde no entorno.
Estrada do Mar - Foto: arquivo Daer

Em 1990 o Daer inaugurou a Estrada do Mar, ERS-389, concebida para trânsito de veículos de passeio como alternativa de acesso ao litoral, desafogando o trânsito da BRS-101. Posteriormente, a rodovia foi liberada para o tráfego de veículos de carga e ônibus.

Nessa década, o conceito de polo rodoviário, pioneiro no Brasil, começa a ser implantado no Rio Grande do Sul, em mais um esforço do governo do Estado e do Daer para modernizar e conferir elevado padrão de qualidade à malha rodoviária gaúcha. Dessa forma, em 1995, foi atribuída ao Departamento a tarefa de conceber o Programa Estadual de Concessão Rodoviária.

Em meados de 1997, o Daer decide inovar, acompanhando as exigências da sociedade moderna. Além de construir e conservar estradas, o Departamento passou a buscar a satisfação dos usuários, exigindo serviços ágeis e modernos, com respostas rápidas às suas necessidades. A inovação permitiu a criação do programa de construção de rodovias, com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o programa de reabilitação de estradas em mau estado, financiado pelo Banco Mundial (BIRD).

Foto dos Tuneis da Rota do Sol
Rota do Sol

Nesse período, o Daer executou a construção da Rota do Sol, que liga a Serra Gaúcha ao Litoral Norte, atendendo a um desejo antigo dos gaúchos. O trecho rodoviário percorre túneis, viadutos e pontes em meio a paisagens de grande beleza natural e o desafio foi vencer um desnível de 800m em uma distância de 11km. O trecho entre a BRS-101 e a ERS-389 foi inaugurado em janeiro de 2005, mas os trabalhos foram finalizados em 2007, quando a rodovia foi entregue definitivamente ao tráfego.

Também em 2005, um importante passo foi dado para a modernização e qualificação do setor rodoviário no Rio Grande do Sul com a inauguração do Centro de Pesquisas Rodoviárias (CPR) do Daer. Localizado na Av. Ipiranga, o prédio conta com os principais laboratórios para o aperfeiçoamento de materiais e técnicas de pavimentação.

foto área mostrando o Trevo da RS-471,  que liga Barros Cassal  a Santa Cruz do Sul.
Trevo da RS 471 Barros Cassal Santa Cruz do Sul - Foto: arquivo Daer

A RSC-471, uma das mais recentes obras do Daer, foi inaugurada em dezembro de 2010. A rodovia liga Barros Cassal a Santa Cruz do Sul e constitui-se no mais importante eixo de ligação entre o norte do Estado, Planalto Médio e o Porto de Rio Grande, via Vale do Rio Pardo.

No período, foram executadas ainda dezenas de acessos asfálticos a municípios gaúchos, que propiciam a qualificação da infraestrutura de mobilidade e estimulam o desenvolvimento econômico em diversas regiões do Estado.

Foto área mostrando viadutos e alças de acesso ao Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. Ao fundo, as instalações do aeroporto e alguns aviões estacionados.
acesso Aeroporto Internacional Salgado Filho - Foto: arquivo Daer

O Departamento também foi o responsável pelo acesso ao Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. As obras foram inauguradas em dezembro de 2010 e deram uma valiosa contribuição para o sistema de mobilidade da Região Metropolitana.

Hoje, o Daer tem sob sua responsabilidade mais de 12 mil quilômetros - entre rodovias estaduais, vicinais, acessos estaduais e travessias urbanas. E gerencia seis programas voltados para qualificação da malha rodoviária estadual: Crema, Restauro, Acessos Municipais, Conserva Rotineira, Convênios Municipais e Duplicações. Saiba mais sobre as Obras Rodoviárias.

esmeralda   ERS456  jpg
ERS-456 - Esmeralda - acesso municipal - Foto: arquivo Daer

Atualmente, o Departamento tem buscado adequar sua estrutura organizacional e seus processos de gestão, programas e projetos dentro de uma nova concepção de Estado. Está em curso a realização de um Projeto de Gestão Estratégica, visando à reestruturação da autarquia, contribuindo para que estejamos bem estruturados e aptos a prestar um serviço com mais eficiência e agilidade para a sociedade gaúcha.

 

Os diretores-gerais do DAER desde sua criação:

• José Baptista Pereira – 23/02/38 a 10/09/43;

• Clóvis Pestana – 11/09/43 a 30/06/45;

• Egydio Tito de Almeida Souza – 01/07/45 a 31/08/48;

• Ciro Mariante da Silveira – 01/09/48 a 31/01/51;

• Daniel Barnewitz Ribeiro – 01/02/51 a 30/06/54;

• Hélio Costa Meira – 01/07/54 a 31/01/55;

• Luiz Parga Torres – 01/02/55 a 31/01/59;

• Augusto Francisco de Castro – 01/02/59 a 24/02/60;

• Paulo Dexheimer Pereira da Silva – 25/02/60 a 16/05/61;

• Pércio Gaspar Reis – 17/05/61 a 31/01/63;

• Elizio Telli – 01/02/63 a 12/09/66;

• Luiz Grassi – 13/09/66 a 31/10/66;

• Antônio Augusto de Oliveira – 01/11/66 a 30/01/67;

• Ernesto Kurt Lux – 30/01/67 a 15/03/71;

• Jorge Cláudio Xavier da Costa – 16/03/71 a 15/03/75;

• Edmar José Levy – 16/03/75 a 15/03/79;

• Telmo José Bins – 16/03/79 a 23/03/83;

• Evandro Cloacir Behr – 24/03/83 a 28/02/86;

• Élio Seganfredo – 05/03/86 a 15/03/87;

• José Camboin Ribas – 19/03/87 a 05/05/89;

• Eudes Antidis Missio – 05/05/89 a 15/03/91;

• Jesus dos Santos Rodrigues – 19/03/91 a 24/03/94;

• Sérgio Roberto Lexau – 24/03/94 a 03/01/95;

• José Luiz Rocha Paiva – 04/01/95 a 31/12/98;

• Hideraldo Caron – 01/01/99 a 31/12/2002;

• Roberto Augusto Kruel Niederauer – 01/01/2003 a 07/02/2007;

• Gilberto Teixeira da Cunha – 08/02/2007 a 04/06/2008;

• Vicente Paulo Mattos de Britto Pereira – 17/10/2008 a 30/12/2010;

• Marcos Ledermann – 07/01/2011 a 28/09/2011;

• José Francisco Fogaça Thormann – 29/09/2011 a 26/11/2012;

• Ricardo Moreira Nuñez – 28/11/2012 a 05/12/2012;

• Carlos Eduardo de Campos Vieira – 06/12/2012 a 31/12/2014;

• Ricardo Moreira Nuñez  01/01/2015 a 12/10/2016;

• Rogerio Brasil Uberti  desde 13/10/2016.

DAER-RS