Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Rota turística de Rolante tem pavimentação concluída

Investimento de R$ 4,72 milhões integra convênio entre Secretaria dos Transportes, Daer e prefeitura

Publicação:

A foto mostra um carro circulando pela estrada conhecida como Caminho das Pipas. A paisagem é repleta de árvores e vegetação. Em primeiro plano, próximo à estrada, uma pipa colonial, alusiva à produção de vinhos em cantinas.
Obra abrange 9,4 quilômetros e facilita acesso a cantinas e vinícolas no interior do município - Foto: Júlio Cunha Neto/Daer
Texto: Júlio Cunha Neto
A foto mostra a rodovia Caminho das Pipas, em Rolante, recém asfaltada, com faixa central pintada. Ao lado direito há uma placa com limite de velocidade de 40 quilômetros por hora. No outro lado, um barranco com um parreiral no topo e igreja ao fundo.
Trecho asfaltado e sinalizado fica na localidade de Boa Esperança, conhecida pelo turismo colonial - Foto: Júlio Cunha Neto/Daer
Na foto, três comerciantes, sendo um casal e a filha, posam atrás de uma mesa com garrafas de vinho, dentro de uma cantina. Eles seguram taças de vinho.
Ana Beatris, com os pais Francisco e Claudina: aposta em mais fregueses na cantina da família - Foto: Júlio Cunha Neto/Daer
Na foto, a comerciante Veronica Montemezzo posa ao lado da rodovia asfaltada Caminho das Pipas. Ela segura um pão e uma cuca, produzidos por ela. Está uniformizada com a camisa e boné da agroindústria que administra.
Asfalto na frente de casa faz Verônica projetar aumento na venda de pães e cucas - Foto: Júlio Cunha Neto/Daer

Um dos principais roteiros turísticos do Vale do Paranhana já conta com mais um atrativo para receber os visitantes: as obras de pavimentação na estrada que dá acesso às cantinas e vinícolas do interior de Rolante – município localizado a 120 quilômetros de Porto Alegre – já estão 100 por cento finalizadas.

O asfaltamento do Caminho das Pipas foi viabilizado por meio de um convênio firmado entre o governo do Estado – através da Secretaria dos Transportes e do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) – e a prefeitura. O investimento soma R$ 4,72 milhões, dos quais R$ 3,77 foram repassados pela autarquia estadual ao município, que aplicou a contrapartida de R$ 956 mil.

“Em momentos de grandes desafios, como este que o Estado enfrenta no campo das finanças, as parcerias com os municípios têm sido fundamentais para ampliarmos nosso objetivo de melhorar a situação geral das estradas gaúchas”, destaca o secretário dos Transportes, Pedro Westphalen. “O convênio que firmamos com a prefeitura de Rolante é um exemplo claro disso, pois além de melhorar a trafegabilidade, irá impulsionar a economia de uma importante região turística.”

A obra abrange uma extensão de 9,4 quilômetros na localidade de Boa Esperança. A maior parte do trajeto recebeu asfalto usinado à quente e, num trecho de 800 metros, foi executada pavimentação poliédrica (calçamento). A estrada passou, ainda, por serviços de drenagem e sinalização de trânsito.

“Além da disponibilização de recursos, o Daer forneceu toda a assistência necessária com seu corpo técnico para que a comunidade tenha uma rodovia em boas condições”, frisou o diretor-geral do departamento, Rogério Uberti. “É com essa mesma determinação que estamos ajudando outros 13 municípios a realizar melhorias em trechos urbanos, por meio de convênios com financiamento do BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social].”

Comerciantes projetam aumento nas vendas

Para os donos das nove cantinas que compõem o roteiro turístico, a obra irá ajudar na comercialização e divulgação dos produtos locais. É o que apostam a comerciante Ana Beatris Lazzari, 45 anos, e os pais Francisco Boniatti, 74, e Claudina Boniatti, 70, que produzem todo ano até 15 mil litros de vinho artesanal com as uvas colhidas no próprio parreiral. “O cliente fica mais feliz ao ver a estrada em boas condições e espalha a notícia aos amigos e parentes, que vêm conhecer também”, explica Ana. “Não temos nem mais poeira em cima das garradas. É um sonho que achávamos muito distante e se tornou, agora, uma conquista”, comemora.

Há poucos metros dali, o otimismo também contagia Verônica Montemezzo, 57 anos, que montou uma agroindústria especializada em pães, cucas e massas coloniais. Com o asfalto na frente de casa, ela acredita que as vendas dos produtos acompanharão o crescimento do turismo de Rolante. “Vai facilitar bastante, pois o pessoal gosta muito de conhecer os pontos turísticos, como a Cascata Três Quedas, que fica perto aqui de casa”, afirma. “É a oportunidade para que mais turistas conheçam o que a gente faz.”

DAER-RS