Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Avançam as obras na ERS-118

Mais de 14 frentes de trabalho estão em atividade na duplicação da rodovia

Publicação:

452
As principais ações no trecho são a execução das placas de concreto na pista nova, a restauração da pista e as ruas laterais - Foto: Júlio da Cunha Neto/ST
Texto: Ascom ST, com edição de Assessoria de Comunicação Social - Daer

A mais importante obra rodoviária do governo do Estado, da Secretaria dos Transportes e do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) foi vistoriada na manhã desta quinta-feira (12): a duplicação da ERS-118. A rodovia é considerada fundamental para o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul e a mobilidade da Região Metropolitana de Porto Alegre.

Em sua primeira visita técnica oficial à obra, o secretário dos Transportes, Humberto Canuso, percorreu as mais de 14 frentes de trabalho que ocorrem simultaneamente ao longo do trecho de 22,4 km. A vistoria teve a presença, ainda, do coordenador geral das obras da ERS-118, engenheiro Vicente de Britto Pereira, de engenheiros do Daer e de técnicos das empresas responsáveis pelos serviços.

Com o objetivo de atualizar a população e lideranças que anseiam pela recuperação da estrada, Canuso salientou a importância do governo do Estado em dar andamento aos serviços tão aguardados pela comunidade. “Primeiramente, gostaria de destacar a decisão do governador José Ivo Sartori em fazer os investimentos necessários para a conclusão desses 22 quilômetros”, frisou. “A ERS-118 é uma via estruturante que vai minimizar vários problemas de tráfego pesado que ocorrem na região e também permitirá um desenvolvimento local muito importante, com a criação de novos empregos, renda e segurança para a mobilidade da Região Metropolitana”, complementou o secretário.

A primeira parada foi no km 21, em Gravataí. De acordo com o supervisor de obras da empresa Sultepa, Auri Tartari, as principais ações no trecho são a execução das placas de concreto na pista nova, a restauração da pista antiga e as ruas laterais. “No atual momento, estamos colocando a base e sub base na pista duplicada, para depois aplicarmos o CCR (Concreto Compactado a Rolo)”, complementa Tartari. “A obra está em pleno andamento e, logo após, passaremos a restaurar a pista ao lado, que ajudará na trafegabilidade dos motoristas. Está tudo dentro do cronograma”, afirmou.

Para Vicente de Britto Pereira, “é especial ver o tráfego andando neste quilômetro. Era uma luta fundamental de 30 anos, que foi vencida após conseguirmos lidar com todos os trâmites e desapropriações ao longo do trecho. Também conseguimos dar acesso direto da população ao macroatacado localizado aqui e pretendemos desafogar o trânsito, dando mais mobilidade aos moradores”, complementou.

Viaduto Itacolomi

O secretário Canuso olhou de perto, também, as obras de construção do Viaduto Itacolomi, no quilômetro 18,5, em Gravataí. Os serviços estão próximos da conclusão e o tráfego já foi liberado. “O trabalho foi realizado em tempo recorde e tenho orgulho de ver como está evoluindo rapidamente para chegar a sua conclusão”, comemorou.

Para a inauguração da obra, falta concluir os acessos laterais da elevada, o batimento dos aterros para a implantação do CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado à Quente) e o plantio de grama.

Tecnologia inovadora nas obras de duplicação

Na vistoria, ainda foi possível visualizar os serviços de restauração da pista antiga, que utilizam um método pioneiro no Brasil. Trata-se de um equipamento com tecnologia ressonante para fragmentar blocos de concreto e reaproveitá-los na reconstrução da base do trecho. “O material reforça a estrutura da rodovia com as camadas abaixo, que foram preservadas na ação, gerando economia. Este processo nos auxilia na implantação do pavimento novo, nos dando agilidade para avançarmos na parte superior”, complementou o engenheiro Auri Tartari.

Além disso, está sendo reforçado o pavimento na pista antiga com manutenções diárias. São três camadas de asfalto, que proporcionam a resistência necessária para o fluxo da rodovia.

Viadutos Rondon e Transpetro

No viaduto Rondon, estão sendo executados serviços de terraplanagem e terramesh system - um processo econômico e de fácil execução na contenção de aterro - com um muro vertical. O objetivo é garantir a segurança dos motoristas que trafegam na via lateral.

No trecho da Transpetro, serão construídas mais quatro obras de arte ao longo da via na pista duplicada, na pista restaurada e nas ruas laterais. As estruturas estão sendo feitas pela empresa Engedal, que executa as estacas metálicas das fundações. Após essa etapa, serão executados os serviços de manutenção das ruas laterais.

No final das obras em andamento, de acordo com o engenheiro-chefe da Sultepa, Cristiano Bondan, “estão sendo colocados oito centímetros de concreto convencional, mais 11 cm de polímero e mais quatro cm de borracha para deixar a pista de rolamento mais resistente. Isso tornará o trânsito mais seguro para a comunidade e os motoristas do local”, finalizou.

O secretário percorreu, ainda, o trecho do quilômetro zero ao cinco, cujas obras de pavimentação e viadutos complementares estão em fase de licitação. “Realmente senti que estava numa aula de engenharia, tamanha a importância, a dedicação e a inteligência em termos de soluções que estão sendo aplicadas nessa importante via”, exaltou.

Sobre o planejamento completo do atual governo para o andamento das obras da ERS-118, Vicente de Britto Pereira mencionou que “antigamente, só eram feitas manutenções pontuais na rodovia e no governo Sartori houve um planejamento completo para que a duplicação acontecesse de fato, pois ela é a obra pública mais importante do estado”, destacou. “Após revisarmos os projetos, adotarmos técnicas inovadoras em tecnologia, fazermos as desapropriações e reintegrações de posse, colocamos em prática esta obra tão imprescindível para a trafegabilidade dos gaúchos”, finalizou.

DUPLICAÇÃO ERS-118

Desde 2015, o governo através da Secretaria dos Transportes já investiu R$ 42.898.321,22 na ERS-118.

Ao todo, são 22,4 quilômetros da estrada que estão em obras ou em processo de licitação. O trecho vai do entroncamento da BR-116, em Sapucaia do Sul, até o encontro com a freeway (BR-290), em Gravataí.

Em alguns trechos da duplicação está sendo usada uma Tecnologia inédita no Brasil, uma máquina fragmentadora ressonante de concreto para recuperar o lote 2 (do km 5 ao 11) da ERS- 118. O equipamento gera economia para o Estado, trazido dos Estados Unidos, utiliza tecnologia ressonante para fragmentar blocos de concreto e reaproveitá-los na reconstrução do trecho.

As obras foram divididas em três lotes:

LOTE 3 – está em processo de licitação - o objetivo é a contratação de uma empresa para executar a duplicação da rodovia que abrange os quilômetros zero ao cinco.
LOTE 2 – (quilômetros 5 ao 11), mais de 80 por cento do cronograma já foi cumprido;
LOTE 1– (quilômetros 11 ao 22) o trecho está em obras.

Acordo de Resultados

A duplicação da ERS-118 integra o Acordo de Resultados 2018, assinado por todas as secretarias e vinculadas e que consiste no acompanhamento dos projetos definidos como prioritários para serem executados pelo governo do Estado. Os compromissos firmados envolvem o planejamento de indicadores de desempenho, ações e eficiência da gestão.

Essa rede de governança prioriza as demandas da sociedade com intuito de construir um governo mais eficiente na aplicação de recursos, mais ágil e menos burocrático, que, de forma transparente, dialogue com a população e entregue serviços de qualidade.

DAER-RS